Elegibilidade para benefícios de compensação de desemprego

A compensação por desemprego, também comumente referida como seguro de desemprego (UI), é um programa de benefícios patrocinado pelo governo e administrado que oferece apoio financeiro a trabalhadores desempregados qualificados. O governo federal e os estados gerenciam o programa em conjunto e financiam com impostos cobrados pelos empregadores. Todos os estados têm regras e regulamentos diferentes, mas a seguinte informação fornece uma visão geral dos benefícios de compensação por desemprego.

→ Funcionários protegidos

As regras de cada estado variam, mas em geral, os funcionários qualificados devem cumprir as seguintes condições para receber benefícios de compensação por desemprego em seu estado:

  • O indivíduo é cidadão dos EUA ou pode fornecer prova do direito legal ao trabalho nos Estados Unidos;
  • O indivíduo foi empregado por um certo período;
  • O indivíduo ganhou uma certa quantia em salários antes de se tornar desempregado;
  • O indivíduo está disponível para o trabalho imediatamente; e
  • O indivíduo é fisicamente capaz de trabalhar.
  • Os trabalhadores a tempo parcial e os trabalhadores temporários podem se qualificar se puderem satisfazer as condições do seu estado.

Quando o empregado está despedido

Dependendo das circunstâncias, um funcionário encerrado ainda pode beneficiar de benefícios de compensação por desemprego. A rescisão de um funcionário por razões financeiras, por ações não intencionais ou por uma demissão, por exemplo, não pode excluir um empregado de receber benefícios. Por outro lado, se um empregador incorrer em um empregado por má conduta que foi deliberada e repetida, desclassificará o empregado na maioria dos estados. Tipos comuns de má conduta incluem:

Desemprego

  • Atraso frequente;
  • Ausências injustificadas;
  • Violação das regras do local de trabalho;
  • Intoxicação no trabalho;
  • Dormir no trabalho;
  • Desonestidade;
  • Insubordinação extrema;
  • Assédio sexual;
  • Ações que causam danos substanciais aos negócios do empregador.
  • A falta de conduta não inclui comportamentos que representam apenas um desempenho fraco, como descuido,
  • falta de habilidade ou erros de boa fé.

→ Quando o Empregado encerra

Um empregado que abandona um emprego geralmente não é elegível para compensação por desemprego, a menos que seja por “boa causa”. A maioria dos estados define boa causa como uma condição que teria resultado em danos ou lesões se o empregado não demitiu. A boa causa geralmente inclui o seguinte:

  • A saúde ou a vida do empregado estavam em perigo;
  • O empregado estava sujeito a condições de trabalho intoleráveis, como assédio sexual ou discriminação e o empregador recusou-se a remediar o problema;
  • O trabalho foi transferido para um local que aumentou substancialmente o tempo de viagem de um empregado ou o trabalho foi transferido para outro estado;
  • O cônjuge do empregado se mudou para outro estado para um novo emprego;
  • O empregado teve um motivo pessoal convincente, como cuidar de um cônjuge doente;
  • Na maioria dos estados, a boa causa para abandonar um emprego exclui razões como o avanço da carreira ou a insatisfação no trabalho.

No Brasil é muito comum os trabalhadores fazerem a consulta de seus devidos benefícios através da consulta PIS online.

Apresentando uma Reclamação de Compensação de Desemprego

Para receber benefícios de desemprego, um trabalhador desempregado deve apresentar uma reclamação com a agência em seu estado que lida com os pedidos. São aplicáveis ​​as seguintes etapas:

Desemprego

Apresentação da Reclamação: Ao apresentar uma reclamação, é necessário fornecer documentação, como talões de pagamento recentes, um cartão de Seguro Social e prova de desemprego. Em geral, um período de espera de uma semana se aplica antes de um trabalhador desempregado receber benefícios. O ex-empregador receberá um aviso do pedido e poderá apresentar uma objeção por escrito.